sábado, 24 de novembro de 2007

Brasil tera metas internas voluntárias de redução das emissões

A menos de um mês da realização da conferência de cúpula da ONU que tentará construir uma agenda comum para a segunda fase do Protocolo de Quioto (pós-2012), o Brasil sinaliza que poderá assumir uma nova postura no cenário multilateral de discussões sobre o aquecimento global. O governo brasileiro continua determinado a não assumir metas obrigatórias de corte para suas emissões de gases provocadores do efeito estufa, mas a novidade na reunião que acontecerá em Bali (Indonésia) entre os dias 3 e 14 de dezembro poderá ser o anúncio de metas internas voluntárias de redução.

O governo criou um comitê interministerial, Comitê Interministerial sobre Mudança do Clima (CIM), que elaborará até abril do ano que vem um projeto de lei para a criação da Política Nacional sobre Mudança do Clima.
A ideia do governo é a de estabelecer, internamente, metas de redução do desmatamento e das queimadas, responsáveis por cerca de 75% de suas emissões, como forma de diminuir suas emissões de gases que contribuem para o aquecimento global. Assim, o Brasil terá maior capital político para reapresentar em Bali a proposta, inicialmente rechaçada pelos países ricos, de que os países em desenvolvimento recebam incentivos econômicos pelo desmatamento evitado.

Fonte:

Um comentário:

Many disse...

Manoel, bom trabalho! Acompanho seu blog com regularidade!
Continue.
O meu segue outra linha..rss
Parabens
M.