domingo, 18 de maio de 2008

A Amazônia é NOSSA!!

Esta talvez seja a melhor forma de se responder aos americanos:



Durante um debate em uma universidade nos Estados Unidos, o ex-governador do DF, e então ministro da Educação, Cristovam Buarque, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.
O jovem americano introduziu a pergunta dizendo que esperava a resposta de um humanista, e não de um brasileiro.

Esta foi a resposta de Cristovam Buarque:

“De fato como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo, e subir ou não o seu preço.

Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país. Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França. Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar que esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e destruído pelo gosto de um proprietário ou de um país.

Não faz muito, um milionário japonês, decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhatan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua história do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maior do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do mundo tenha possibilidade de comer e de ir à escola. Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro. Crianças pobres do mundo, como um patrimônio da Humanidade, elas não deveriam viver?


Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo.
Mas enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa!"

Veja Também: Matérias sobre a Amazônia

4 comentários:

Anônimo disse...

Poderíamos internacionalizar os seus pensamentos para que grandes intelectuais pudessem compartilhar e se apreciar de tanto interesse burocrata e de intensificações finaceiras pró burguesia nacional e capitalista.
Amazônia é nossa, nem se for preciso derrubar idealistas e os que se acham pensadores da razão para que a amazônia continue sendo nossa, nós derrubaremos.

Força Jovem NeoLiberalista

edilson disse...

ao.......ex-governador do DF, e então ministro da Educação, Cristovam Buarque.

lhe pergunto. isso que está acontecendo e vai continuar......PIOR. SERA QUE SE PARASSEM,(UMA TREGUA) POR 5 ANOS DE ladroagem DESCARADA em nosso pais PELOS NOSSOS GOVERNOS:MUNICIPAIS,ESTADUAIS E FEDERAIS, ACREDITO E AFIRMO COM CERTA CERTESA QUE NAO SERIA NECESSARIO INTERVENÇAO ESTRAGEIRA EM NOSOS MEIOS. POIS QUANDO FEZ O BRASIL TIROU DE TODAS AS OUTRAS NAÇOES E OS COLOCOU AQUI:NAO HA TERREMOTO,MAREMOTO,DESERTOS,FURAÇOES E TANTAS OUTRAS COISAS. nao sera MERA AMBIÇAO E FALTA DE PARCERISMO ENTRE NÓS MESMOS DO NOSSO QUERIDO E ABENÇOADO POVO BRASILEIRO.

CUIDE SRS.GOVERNO ATUAL DO PRESENTE,PARA SEU FILHO NO FUTURO,COMO SEUS PAIS NO PASSADO OS FEZ.

SEJA BRASILEIRO...NAO UM COVARDE AMBICIOSO.


EDILSON TOMASONI FRITZ
VILHENA-RONDONIA
EDILSON.TOMASONI@GMAIL.COM

lzzoomm2000 disse...

Sou Português vulgo Europeu que teve o privilégio de poder visitar o Brasil, a Amazônia é uma parte do Brasil e assim deverá continuar para sempre! a ideia de retirar esse pedaço da alma do Brasil é simplesmente um absurdo. A alma é um pedaço do corpo que é essa grande nação Brasileira!

JULIO SPÍNOLA disse...

GANÂNCIA ESTRANGEIRA POR MAIS DE 50% DE NOSSAS TERRAS.

Não tocando no lugar comum de que querem mantê-la intocada para pesquisas exógenas, a Amazônia tem um potencial de concorrência com os países desenvolvidos que não deve ser descarrtado, principalmente.
Produção de madeiras.
O Canadá, grande produtor de moveis e material de construção a base de coníferas(pinho) mantém uma industria de mais de 100 BI de dólares anuais somente cortando seletivamente 0,5% de sua floresta/ano.
Os EUA, ao contrário do que dizem, mantém 2/3 de suas florestas e as exploram sustentávelmente, também.
Agora imaginem= um pinheiro para crescer na Europa ou Canadá pode lçevar mais de trinta anos para chegar ao ponto de corte, valor que é conseguido aqui de 6 a 8 anos.
a Teca, madeira nobre usada para construção naval e móveis finos, tres vezes mais cara que o mogno,leva oitanta anos para chegar ao corte no Sudeste asiático, de onde provém e leva 20 a 25 anos para obter o mesmo resultado aqui.
Em Cáceres, no MT, onde há cultivo comercial, alcança 8 metros de altura no quarto ano de vida.
Assim, imaginem se resolvêssemos implantar uma imensa industria moeleira na Amazônia com nossas madeiras e as madeiras replantadas que aqui produzem até cinco vezes mais.
Em 1986 anunciou-se uma megajazida de petroleo no delta do Marajó , ao votarem a emenda constituinte no dia seguinte, determinando o subsolo como patrimônio da União a sonda quebrou-se no poço da SHELL e ele foi desativado ficando o dito por não dito.(?????)
3/4 do território brasileiro são sedimentares de quaternário, aprendemos em geografia na escola.
3/4 do território propenso a combustiveis fósseis.
ollhando-se no Googlemaps a confluência do delta de Marajó vejam se não é bem semelhante às formações que fizeram os Deltas do Níger,na Àfrica, onde os EUA retiram 40% de seu petróleo, e do Delta do Rio Tigre e Eufrates, onde se localizam as reservas do Oriente Médio.
Mr. link, nos anos 50 já afirmava que o Brasil não possuía petróleo em seu território assim como, utilizava técnicas sofisticadas no Oriente Médio PARA NÃO DESCOBRIR UM NOVO MAR DE PRETRÓLEO e deprimir os já baixos preços do combustível, como declarou em comissão do Senado Americano.

MANTER A AMAZÕNIA INTOCADA É MANTER TAMBÉM 50% DE NOSSO TERRITÓRIO SOB CONTROLE DE ONG's.
M
MANTER A AMAZÔNIA INTOCADA É GARANTIR QUE NÃO APAREÇA OM NOVO PLAYER GLOBAL NA ÁREA DA ENERGIA E DE MATÉRIA PRIMAS.



INTERESSANTE!!!!!
SÓ DÁ GRANDES LENÇÓIS DE PETRÓLEO NA AMAZÕNIA VENEZUELANA, NA AMAZÕNIA PERUANA(CHACO).
NA AMAZÔNIA BRASILEIRA,
""DEUS NÃO QUIZ"""(????)