segunda-feira, 18 de dezembro de 2006

Padrinho do biodiesel propõe substituição do Bolsa-Família por programa de biodiesel no semi-árido

O senador Alberto Silva (PMDB-PI), em discurso em Plenário nesta segunda-feira (18), relatou que, em conversa recente com o ministro Patrus Ananias, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, propôs a substituição gradual do Programa Bolsa-Família pelo plantio de mamona para biodiesel, financiado pelo Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf). O senador registrou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deseja transformar o Bolsa-Família em programa gerador de emprego e renda.

- O Pronaf pode ser a alavanca que o presidente Lula quer. Para o projeto piloto que desejo montar, é necessário rever o zoneamento para plantio da mamona - disse o senador.

De acordo com Alberto Silva, 50 famílias que hoje recebem o Bolsa-Família fundariam uma associação e, com o auxílio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e de uma empresa para administrar os recursos financeiros, plantariam mamona e feijão. Pelos cálculos do senador, seria possível construir uma mini-usina de produção de biodiesel, subsidiada pela Petrobras, com preço final na bomba de R$ 1,85.

- No final do mês, seriam R$ 3,5 mil por tonelada de feijão, R$ 2 mil por 450 litros de óleo diesel e mais R$ 4 mil das mil e quinhentas toneladas de casca de feijão e mamona que se transformam em nove toneladas de celulose - explicou o senador.

Segundo seus cálculos, uma família de 12 pessoas receberia em média R$ 600 reais mensais. A novidade, consiste, segundo o senador, no aproveitamento da casca do feijão e da mamona com a transformação da celulose em biofertilizante.
Fonte: Agência Senado

Um comentário:

Ethanol Brasil disse...

Prezado Manoel, independentemente de questões partidárias, creio ser essa iniciativa "a verdadeira", pois não dá o peixe mas ensina a pescar.